Batalha no topo: LSU e Georgia se enfrentam pelo segundo lugar na SEC

Batalha no topo: LSU e Georgia se enfrentam pelo segundo lugar na SEC

Horário: 16h30
Local: Tiger Stadium, Baton Rouge, Louisiana
Cotação: Georgia é favorita por 7 pontos

Poderia ser ainda mais decisivo, mas ainda assim o confronto carrega um grande peso. LSU e Georgia se enfrentam em Baton Rouge com um propósito essencial que necessitam garantir: a sobrevivência na corrida dentro da SEC e pelo College Football Playoff.

A partida certamente é muito mais pesada em termos de relevância para LSU (5-1, 2-1 na SEC) do que para Georgia (6-0, 4-0 na SEC). Falei no início da temporada que dificilmente os Tigers chegariam a este confronto invictos, mas nem eu e nem muitas pessoas previam que a derrota viria logo contra uma Florida em reconstrução. Óbvio que os Gators possuem seus méritos, mas LSU já havia batido duas equipes ranqueadas antes, surpreendendo positivamente.

Uma segunda derrota talvez até possa ser aceita pelo comitê considerando seu fortíssimo calendário, mas será fatal na corrida pela SEC oeste: seria seu segundo revés interno, tendo ainda uma Alabama invicta e pouco propensa a ser derrotada ainda pela frente. Mesmo que venha a vencer Bama, ainda teria que torcer para que o Crimson Tide perdesse um segundo confronto interno, o que não acontece desde 2010.

Para Georgia, o caminho teoricamente é mais tranquilo, mas pode contar com percalços eventuais: depois de folgar na próxima semana, o time pega uma Florida em ascensão, um surpreendente time de Kentucky e o fortíssimo time de Auburn. Não há time bobo na sequência para os Bulldogs, mas a equipe tem mais time que todos os seus adversários remanescentes, incluindo LSU. Pesa a seu favor o fato de jogar na divisão leste, que teoricamente é mais fraca do que o lado oeste.

Georgia e LSU são, respectivamente, os dois times melhor ranqueados da SEC dentro do Top 25. O vencedor manterá ou assumirá o segundo posto.

Análise do confronto

O grande problema de LSU é o ataque. Não pela ruindade, mas por possuir certas limitações. O ataque terrestre vai relativamente bem com Nick Brossette, mas o jogo aéreo ainda é relativamente limitado. Joe Burrow apenas prossegue a dinastia de quarterbacks limitados em Baton Rouge. Apesar disso, o conjunto dos Tigers soube ser eficiente quando necessário e utilizou todas as suas ferramentas disponíveis para conseguir fazer o ataque rodar. Deu certo contra Miami e Auburn, mas não contra Florida.

A estratégia se baseia em estabelecer o domínio do relógio, ficando com o ataque no campo pelo máximo possível de tempo e desgastando a defesa adversária. Além disso, estabelecer um domínio inicial é altamente necessário (embora não obrigatório) para conseguir controlar as ações da partida e fazer o adversário correr atrás do resultado. Resta saber se isso será possível contra a poderosa defesa de Georgia e apresentando problemas na hora de proteger seu quarterback: Joe Burrow já foi sacado 13 vezes em 6 jogos.

Os Bulldogs, por sua vez, contam com fortes conjuntos ofensivos e defensivos. Estão um patamar abaixo de Alabama ainda e cometem erros, mas mesmo assim já é suficiente para poder se impor diante de LSU. Jake Fromm tem feito um trabalho formidável até aqui, com desempenho bastante regular: são 1200 jardas e 72,8% de passes completados para 12 touchdowns e apenas 2 interceptações. Claro que o jogo terrestre também ajuda, com Elijah Holyfield sendo o líder nesta vertente.

Defensivamente, Georgia é o segundo time da FBS que menos cede pontos por jogo (média de 13 pontos por partida). O ponto forte da defesa é a secundária, que cede apenas 5,2 jardas por passe, em média. Se atuar no mesmo nível das outras partidas, LSU deve sofrer.

Palpite

Será um bom jogo. LSU joga em casa, deve buscar controlar o relógio e tentar fazer valer o fator local. Porém, Georgia tem mais time e deve prevalecer. Aposto em uma vitória apertada dos Bulldogs.

Attachment

felipe-michalski

Estudante de jornalismo da Universidade Federal de Santa Maria e criador do College Football Brasil. O College Football é uma loucura, então não tenha problemas cardíacos. Go Vols!